sexta-feira, 22 de outubro de 2021

Audiência de mediação termina sem acordo entre patrões e empregados e greve continua


Depois de mais de três horas de negociações, ainda não foi fechado um acordo entre o Sindicato dos Trabalhadores em Transportes Rodoviários no Estado do Maranhão (STTREMA) e o Sindicato das Empresas de Transporte (SET). A greve continua.

Haverá uma nova audiência de mediação neste sábado (23), às 18h, na sede do Ministério Público do Trabalho no Maranhão (MPT-MA), em São Luís. Durante a audiência, o Sindicato dos Rodoviários apresentou nova proposta, que será analisada pelo SET em assembleia geral.

Ficou acertado que os empresários darão uma resposta aos rodoviários na audiência de sábado. 

A mediação está sendo conduzida pelo procurador do Trabalho do MPT-MA Marcos Rosa. Na primeira audiência, estiveram presentes representantes do STTREMA, do SET, da Secretaria Municipal de Trânsito e Transporte (SMTT) e da Procuradoria Geral do Município de São Luís.

Nota do Sindicato dos Rodoviários

O Sindicato dos Rodoviários do Maranhão disse, que permanece aberto ao diálogo, para que a situação seja resolvida, os Rodoviários tenham os seus direitos garantidos e a população de São Luís, volte a contar com o serviço de transporte público.

Morre Dra Maria Felix, prefeita de Cajari e mãe do presidente da Câmara de São Luís, Osmar Filho


O vereador e presidente da Câmara de Vereadores de São Luís, Osmar Filho, anunciou por das red s sócias, a morte da mãe, a Dra. Maria Felix, que também era prefeita do município de Cajari. 

Segundo o parlamentar, a Dra. Maria Felix faleceu em Brasília na madrugada desta sexta-feira (22), onde fazia tratamento de saúde. A postagem segue destacando a trajetória dela, tanto como mãe, mulher e política. 

Nós comentários, vereadores, deputados e o prefeito Eduardo Braide, lamentaram a morte da prefeita. 

Flávio Dino é eleito para a Academia Maranhense de Letras


O governador Flávio Dino foi eleito, no final da tarde desta quinta-feira (21), para a Academia Maranhense de Letras (AML) e vai ocupar a cadeira de nº 32, em substituição ao intelectual Sálvio Dino, seu pai, que faleceu em agosto de 2020, vítima da Covid-19. 

Dino disputou a vaga com outros quatro candidatos – Antônio Guimarães de Oliveira, José Rossini Corrêa, José Carlos Sanches e Azenate de Oliveira –, e foi eleito com 25 votos dos 35 válidos.  

“Contamos com sua ajuda, com sua colaboração e com sua presença. Nós recebemos o senhor de braços abertos”, disse o presidente da AML, Carlos Gaspar, ao comunicar, no Palácio dos Leões, a eleição de Flávio Dino.     

Flávio Dino recebeu a visita do presidente e de outros intelectuais da AML, e agradeceu a indicação do seu nome para o quadro da AML, especialmente por ocupar agora a cadeira que anteriormente era do seu pai. O governador afirmou, ainda, que vai colaborar para a manutenção do legado da AML, que completou no dia 10 de agosto de 2021, 113 anos de fundação.  

“O meu pai, entre tantos amores, tantos afetos, ele tinha um lugar muito orgulho de integrar a academia. É um gesto de deferência também à memória dele como confrade dos senhores e senhoras. Só posso me comprometer em ser um coguardião de tão grandiosa tradição do nosso estado”, disse o governador.   

 

Ninguém acerta a Mega-Sena e prêmio acumula em R$ 26,5 milhões


Nenhuma aposta acertou as seis dezenas do concurso 2.421 da Mega-Sena. O sorteio foi realizado na noite dessa quinta-feira (21) no Espaço Loterias Caixa, localizado no Terminal Rodoviário Tietê, na cidade de São Paulo.

De acordo com a estimativa da Caixa, o prêmio acumulado para o próximo sorteio, no sábado (23), é de R$ 26,5 milhões. As dezenas sorteadas foram: 02 - 03 - 32 - 35 - 48 - 57 .

A quina registrou 49 apostas ganhadoras. Cada uma vai pagar R$ 47.248,93. A quadra teve 3.678  apostas vencedoras. Cada apostador receberá R$ 899,24.

As apostas para o concurso 2.422 podem ser feitas até as 19h (horário de Brasília) do dia do sorteio, nas casas lotéricas credenciadas pela Caixa, em todo país ou pela internet. O volante, com seis dezenas marcadas, custa R$ 4,50. Da Agência Brasil.

quinta-feira, 21 de outubro de 2021

Prefeitura entra com segundo pedido na justiça e pede volta imediata de 100% da frota de ônibus


O transporte público de São Luís continua suspenso, com trabalhadores de braços cruzados, sem previsão de retornar as atividades. 

O município entrou com uma segunda ação na justiça para pedir o retorno imediato dos rodoviários ao trabalho, com 100% da frota e não mais os 90%, que havia pedido inicialmente.

O Secretário Municipal de Trânsito e Transporte, Cláudio Ribeiro, disse que espera a resposta da justiça para que o funcionamento possa ser restabelecido nas próximas horas e reforçou que não haverá aumento no valor das passagens. 

O que diz o TRT

O Tribunal Regional do Trabalho do Maranhão informa que foi recebido comunicado da Prefeitura de São Luís no processo movido pelo município de São Luís requerendo a ilegalidade e abusividade da paralisação e solicitando a continuidade normal e completa dos serviços.

O pedido está sob a análise do desembargador Francisco José de Carvalho Neto, que deverá dar uma decisão nas próximas horas.  

Greve: São Luís amanhece sem transporte público

100% da frota parou

Quem precisa de ônibus nesta quinta-feira (21), vai ter que buscar outra alternativa, porque o transporte público parou por conta da greve dos rodoviários. A prefeitura havia acionado a justiça, que determinou a circulação de 90% dos coletivos, mas a decisão foi descumprida pelos trabalhadores. 

A paralisação dos ônibus vem gerando um caos em bairros da capital, com paradas lotadas e muita gente tentando se virar como pode para se deslocar. Os rodoviários reivindicam pagamento de salários atrasados e benefícios. Por outro lado, nas ruas e avenidas, o trânsito está bem mais tranquilo do que costume. Sem os coletivos, são os carrinhos e vans do transporte alternativo que ganham força. 

Ônibus paralisaram em São Luís

A Prefeitura de São Luís disse que está com fiscais desde às 4h da manhã para garantir que o percentual mínimo da frota circule na cidade e que vai buscar as medidas necessárias para que a decisão judicial seja cumprida, uma vez que a população de São Luís não pode ser penalizada.

quarta-feira, 20 de outubro de 2021

Prefeitura garante na Justiça 90% da frota de ônibus em São Luís


A Prefeitura de São Luís garantiu, nesta terça-feira (19), a circulação de 90% da frota do transporte público na cidade, com o movimento de paralisação já anunciado pela categoria. A decisão liminar foi proferida pela desembargadora federal do Trabalho, Ilka Esdra Silva Araújo. Na decisão, ficou determinado - tanto ao Sindicato dos Trabalhadores em Transportes Rodoviários no Estado do Maranhão (STTREMA) quanto ao Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros de São Luís (SET) -, que:

a - Garantam o percentual mínimo de 90%) da frota de ônibus em funcionamento, em todas as linhas e itinerários e em todos os horários, com os respectivos motoristas e cobradores em todos os horários; 

b -Não haja coação ou impedimento aos trabalhadores que não queiram aderir ao movimento de trabalhar;

c - Não haja bloqueio das entradas/garagens das empresas prestadoras de serviço de transporte público municipal;

d - Não seja praticada qualquer tipo de greve, tal como “greve branca”, “operação tartaruga”, “greve de zelo”, “greve de ocupação”, “greve ativa”, “greve intermitente”, “greve seletiva” ou qualquer outra que venha a prejudicar a prestação do serviço público.

Em caso de descumprimento das medidas, a Justiça do Trabalho estabeleceu multa diária de R$ 50.000,00 (cinquenta mil reais) ao STTREMA e ao SET.

“Buscamos assegurar que a população de São Luís tenha o seu direito ao transporte público preservado”, afirmou o prefeito Eduardo Braide.

O que diz o Sindicato dos Rodoviários 

O Sindicato dos Rodoviários do Maranhão confirma, que o movimento grevista liderado pelos trabalhadores Rodoviários, está mantido.

A greve será deflagrada, nas primeiras horas desta quinta-feira (21), por tempo indeterminado, ou até que uma contraproposta descente, seja apresentada pelo sindicato patronal, SET.

A entidade reforça, que tentou de todas as maneiras, manter um diálogo com os patrões, para que as negociações avançassem e a greve fosse suspensa, sem causar nenhum tipo de transtorno aos usuários, o que não aconteceu. Sendo assim, não resta outra alternativa para os trabalhadores, que não seja cruzar os braços.

O Sindicato dos Rodoviários do Maranhão respeita toda e qualquer decisão da justiça, mas defende a liberdade de poder manifestar-se, quando os direitos da categoria, não são garantidos. Contamos com a compreensão da população e o apoio dos trabalhadores Rodoviários.

Motoristas e cobradores da Ratrans retornam às atividades, após pagamento dos salários


O Sindicato dos Rodoviários do Maranhão informa que os ônibus da empresa Ratrans, voltaram a circular na primeiras horas da manhã desta quarta-feira (20).

Ainda no final do dia de ontem, os empresários se comprometeram em depositar os valores nas contas dos trabalhadores, referentes aos salários e ticket alimentação que estavam em atraso. Marcelo Brito, Presidente do Sindicato dos Rodoviários se reuniu com a categoria, que concordou retornar às atividades, somente se o dinheiro fosse creditado nas contas, o que de fato aconteceu.

Impasse resolvido, os ônibus já começaram a deixar a garagem da Ratrans, para cumprir os itinerários. Situação resolvida, graças a persistência dos trabalhadores, que permaneceram firmes durante todo o movimento. “A união da nossa categoria, é fundamental, para que a gente possa alcançar os nossos objetivos. Mais uma vez, conseguimos solucionar toda a situação, garantido os pagamentos devidos aos nossos companheiros, que acordam cedo para trabalhar e por isso merecem ser respeitados”, afirma Marcelo Brito, Presidente do Sindicato dos Rodoviários do Maranhão.

No que se refere a paralisação de todo o sistema, marcada para esta quinta-feira (21), o Sindicato dos Rodoviários do Maranhão, ressalta que ela está mantida, já que até o momento o sindicato patronal, SET, não apresentou nenhuma contraproposta e o município de São Luís, também não fez qualquer intervenção, no sentido de mediar um acordo entre as partes.

Tanque da Rodagem: esperança que brota da terra por meio do plantio de árvores doadas pelo GT de Juventudes da Rama


O apoio e a solidariedade chegam de todas as maneiras no acampamento Fátima Barros, em Tanque da Rodagem, no cerrado maranhense. No último final de semana, o Grupo de Juventudes da Rede de Agroecologia do Maranhão (Rama), por meio da campanha Plante Árvores, encaminhou para o território quilombola cerca de 50 mudas (mamão, laranja, cupuaçu, juçara, ipê, tamarindo, ata) como forma de resistência ao monocultivo da  soja, que tentam instalar na reunião. 

Há cerca de 40 dias, a vegetação dos territórios de Tanque da Rodagem e São João foi totalmente devastada, sob o comando de agricultores da soja. Os quilombolas montaram acampamento em protesto e desde o dia 10 de setembro aguardam a presença da Secretaria Estadual do Meio Ambiente (SEMA) para registro do crime ambiental.  Há informações que representantes da Secretaria foram ao município, mas não no acampamento Tanque da Rodagem para checar de perto a destruição da mata nativa. 

Sobre o Plante uma Árvore


As mudas foram cultivadas por  Ariana Gomes e Ivanessa Ramos, ambas do GT de Juventedes da Rama. Os integrantes do GT se comprometeram em cultivar mudas de espécies madeireiras, frutíferas e ornamentais. Todas ameaçadas de extinção por conta do avanço do Agronegócio, das queimadas e da monocultura. São vegetações que  englobam os biomas Cocais, Cerrado e Caatinga. 

O projeto Plante uma Árvore incentiva a participação dos jovens nas causas sociais que é de extrema importância para que a luta em prol da segurança alimentar, contra o Agronegócio. “Com certeza serão bem cuidadas, por mãos de gente que luta pelo território e pela permanência da diversidade do cerrado. Agora elas terão as raízes fincadas nas terras férteis de resistência e de gente lutadora”, afirmou Ariana Gomes. 

Solidariedade 

Os quilombolas há mais de 40 anos imprimem vida no território Tanque da Rodagem e São João, ambos reúnem muita ancestralidade. Recentemente se juntaram a eles, em uma rede de solidariedade, outros quilombolas, quebradeiras de coco babaçu, indígenas, agricultores familiares e camponeses. São mais de cem pessoas no acampamento Fátima Barros, às margens da MA 262 semeando vida por meio do encontro de saberes e vivências. 

Uso de agrotóxico liberado pela Sema

Outra grave denúncia envolve o território é que a SEMA concedeu Licenciamento Ambiental (nº 0000110/2018 – Atividade Agrossilvopastoril) que autorizou o uso de agrotóxico na fazenda Castiça. A propriedade fica dentro da comunidade quilombola de Tanque da Rodagem, o que seria necessário a realização de consulta prévia, conforme exige a legislação ambiental. 

A Comissão Pastoral da Terra, que acompanha a comunidade, expressa a urgência da presença da Secretaria Estadual de Meio Ambiente no território. As denúncias foram feitas por meio de matérias jornalísticas. 

No Licenciamento Ambiental (nº 0000110/2018 – Atividade Agrossilvopastoril) costa nos itens de 07 a 13, a regulamentação de como usar os agrotóxicos na fazenda Castiça. A autorização para uso de veneno está clara no documento emitido pela  SEMA. Consta ainda orientação para uso do terrível  glifosato, que envenena lençóis freáticos, sendo ele vetado o seu uso por aeronaves. 

Problemas de saúde 

Os quilombolas reclamaram de coceira e alergia pelo corpo. Uma quilombola, falou: “vamos caçar o coco babaçu no mato e quando voltamos de lá,  a pele está encarouçada”, denunciou. Outro quilombola falou sobre o clima constante de ameaça e derrubadas das casas. “Só faltam passar por cima de nós”, alertou. Das mais de 60 famílias que moram no território, metade já se encontra desabrigada devido ao conflito com os plantadores de soja.

Sobre a comunidade Tanque da Rodagem

Desde 2013, tramita no Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra) o processo de reconhecimento da área como território quilombola. No entanto, a última movimentação no processo do Tanque de Rodagem foi em 2017. Sem a documentação definitiva da posse, os moradores não conseguem avançar com a regulamentação das moradias e nem acessam linhas de crédito para a produção agrícola. Os primeiros quilombolas a ocuparem a área onde está o Quilombo Tanque de Rodagem chegaram na década de 1970. O terreno fica na beira da rodovia MA-262, onde os moradores já organizaram a divisão do território, com casas e plantações para o sustento da comunidade.

Blitz Urbana notifica 85 proprietários de imóveis na Cidade Operária, por irregularidades em calçadas

85 imóveis foram notificados na Cidade Operária

A Prefeitura de São Luís, por meio da Secretaria Municipal de Urbanismo e Habitação (Semurh) – via Blitz Urbana – iniciou, nesta terça-feira (19), na Cidade Operária, a operação Calçada Legal. O objetivo é conscientizar a população sobre a importância da acessibilidade para a locomoção dos pedestres, em especial para pessoas com deficiência ou com mobilidade reduzida. Outros bairros da capital também receberão ações da operação que integra a política de inclusão desenvolvida pela gestão do prefeito Eduardo Braide. 

“A Prefeitura iniciou, hoje, na Cidade Operária, uma ação que será levada para toda São Luís. Nosso intuito é garantir direitos e promover o desenvolvimento da nossa cidade”, destacou o secretário municipal de Urbanismo e Habitação, Bruno Costa. 

Na Cidade Operária, proprietários de imóveis foram orientados sobre a necessidade de adequação de calçadas. As equipes estão preparadas para emitir 200 notificações por mês, até concluir a fiscalização em toda a cidade. Somente na região vistoriada nesta terça-feira (19), foram feitas 85 notificações. 

Para executar a ação, foi estabelecido um plano de ação conjunta entre os órgãos relacionados, que definiu, entre outros pontos, o início das atividades pelo bairro Cidade Operária, área com maior número de pessoas com deficiência na capital – 54.864 pessoas, de acordo com dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). 

Mesmo sendo o bairro com maior contingente de pessoas com deficiência, a área apresenta trajetos com muitos obstáculos e riscos para quem tem a mobilidade reduzida, um desafio que se reflete em toda a cidade, como explicou o titular da Semeped, Carlivan Braga, que acompanhou as notificações e conversou com a população durante as ações desenvolvidas na Cidade Operária.

Segurança

As equipes de fiscalização da Blitz Urbana percorreram a principal avenida da Cidade Operária, berço do centro comercial do bairro onde as irregularidades no passeio público se tornam ainda mais prejudiciais devido à intensa movimentação de pessoas. A ausência de acessibilidade no local é um problema reconhecido pelos próprios moradores da área, como contou a comerciante Maria do Amparo Pereira. 

Mais vistas